Aquecimento global:  Fenômeno  natural  ou um processo  intensificado pelo Homem?

EQUILÍBRIOS DA NATUREZA
novembro 5, 2021
INFOCALIPSE
novembro 16, 2021

Aquecimento global:  Fenômeno  natural  ou um processo  intensificado pelo Homem?

Aquecimento global: Fenômeno  natural  ou um processo  intensificado pelo Homem?

 

Tema central debatido nas Organizações das Nações Unidas (ONU), o aquecimento global é um fenômeno que nos rodeia há décadas, desde de quando identificamos as transformações no ecossistema do planeta, com colaboração humana, devido ao modelo de vida que se instaurou nas sociedades capitalistas. Mesmo com argumentos lógicos experimentais, existem vários grupos que não reconhecem que tal fenômeno tenha influência humana. Será mesmo que não?

Toda forma de vida que habita o universo, incluindo nosso planeta, passa por transformações,  graças a essas mudanças a terra, por exemplo, gerou formas de vidas, entre elas “nós”, seres humanos.

Esse ciclo da vida segue suas próprias leis, ou seja, se estrelas explodem em galáxias distantes, morrem possibilitando o nascimento de novos  planetas, seguindo o complexo “devir” do cosmo è necessário que haja a morte para que exista vida, um jogo de postos no qual tudo está interligado.

Contudo vamos nos concentrar em nosso pequeno planeta que por enquanto ainda é azul e cheio de vida.

Há anos ouvimos falar sobre o aquecimento global nos noticiários, publicações sobre meio ambiente e também em relatórios de clima e tempo. Mas quais são suas causas?

O aquecimento global corresponde ao aumento da temperatura média terrestre, causado pelo acúmulo de gases poluentes na atmosfera.

O século XX foi considerado o período mais quente desde a última glaciação. Houve um aumento médio de 0,7°C nos últimos 100 anos. O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), órgão responsável por estudos sobre o aquecimento global, acredita que o cenário para as próximas décadas é de temperaturas ainda mais altas.

Estudo recente, de 2017, indica que são de 90% as chances de aumento das temperaturas médias, no século XXI, para valores entre 2 a 4,9 °C. Um aumento de 2 °C já resultaria em graves e irreversíveis problemas ambientais. Por isso, o aquecimento global é considerado um problema ambiental urgente e com graves consequências para a humanidade.

Porém, o tema ainda é controverso. Para alguns cientistas, o aquecimento global é uma farsa. Eles argumentam que a Terra passa por períodos de esfriamento e aquecimento, o que seria um processo natural. Um processo natural que obedece às suas próprias regras.

De um lado pessoas que defendem uma radical mudança no comportamento humano, especialmente no que se refere ao  modelo econômico,  de outro, pessoas que identificam que o planeta naturalmente, sem intervenção humana passa pela suas transformações.

Partindo do princípio que sim, a intervenção humana tem colaborado em muito para os desastres ambientais que vêm ocorrendo nas últimas décadas, percebe-se que o modo que geramos a chamada “riqueza” é o atributo primordial para a degradação do meio ambiente. Desde o auge da Revolução Industrial que gerou aumento de emissão de gases do efeito estufa, ao neoliberalismo com sua exploração dos recursos naturais de forma não sustentável,  tem comprovado que a intervenção humana pode levar a própria humanidade ao seu fim, mais ainda, não só a humanidade, mas o fim de várias formas de vida que dividem o planeta conosco.

https://aprobio.com.br/noticia/voce-sabe-o-que-e-o-efeito-estufa

 

O fenômeno do aquecimento global afeta diretamente a economia, pois as riquezas humanas dependem intimamente das riquezas naturais do planeta, por exemplo o desmatamento na Amazônia que se intensificou nos últimos anos no atual Governo Brasileiro.

As árvores, além de oferecerem abrigo e sombra para outras espécies, garantem a manutenção da biodiversidade, diminuem a temperatura local, assim como ajudam a abastecer os lençóis freáticos com água e reduzem ruídos em grandes cidades. Elas têm a capacidade de absorver carbono da atmosfera e, por isso, as florestas têm um papel essencial na regulação do clima, absorvendo o CO2, um dos principais gases causadores do aquecimento global, que é uma das maiores ameaças para a manutenção da vida no planeta. Segundo o relatório do IPCC, da Organização das Nações Unidas, se mantivermos o ritmo de emissões de gases de hoje, até 2040 a terra aumentará sua temperatura média global em mais de 1,5ºC, o que pode aumentar significativamente catástrofes e desastres naturais, além de seca e prejuízos econômicos.

“As árvores também colaboram para garantir a qualidade e quantidade do abastecimento de água. As mata ciliares, nas margens de rios e nascentes, ajudam a evitar a erosão do solo que, quando acontece, carrega sedimentos que comprometem a qualidade da água. Além disso, oferecem alimento e matéria prima para as mais variadas indústrias, sendo essencial para a economia”.

As ficções já nos trazem imagens do que poderia acontecer com as sociedades humanas se não mudarmos nosso comportamento diante a natureza. Já guerríamos por petróleo, em breve guerrearemos pela água e por demais alimentos que provêm da água.

Observa-se que os povos indígenas nos alertaram a tempos com seu modo de vida, que para muitos era primitivo e irracional, porém parece mais primitivo e irracional colaborarmos tão profundamente com nosso próprio fim.

Poderíamos ter aprendido muito com eles que vêem a natureza não como um outro, um objeto que pode ser explorado e dominado, mas enxergá-la como um semelhante, como um igual, como afirma Ailton Krenak: “Fomos nos alienando desse organismo de que somos parte, a Terra, e passamos a pensar que ele é uma coisa e nós, outra: A Terra e a humanidade. Eu não percebo onde tem alguma coisa que não seja natureza. Tudo é natureza. O cosmos é natureza. Tudo em que eu consigo pensar é natureza.”

Resumindo, não importa se as pessoas acreditam que a intervenção humana colabora ou não com o aquecimento global. Já vivenciamos fenômenos que levaram inúmeras  vidas e empobreceram tantas outras. Nossa ambição é nossa pena de morte. Nossas ideologias de um futuro promissor já não são tão promissoras assim. Então o que podemos fazer? Como adiar o fim do mundo?

https://jc.ne10.uol.com.br/canal/cultura/literatura/noticia/2019/08/20/livro-de-ailton-krenak-defende-que-e-preciso-adiar-o-fim-do-mundo-386045.php

 

Sigamos o conselho de  Krenak:

“A minha provocação sobre adiar o fim do mundo é exatamente sempre poder contar mais uma história. Se pudermos fazer isso, estaremos adiando o fim”.

Vamos contar uma nova história na qual a Vida é maior do que nosso egoísmo. Sigamos contando histórias…

 

 

Para saber mais:

https://www.savecerrado.org/dia-nacional-da-conscientizacao-das-mudancas-climaticas/?gclid=Cj0KCQjw5oiMBhDtARIsAJi0qk2JD5ZZNuhqpnBGOHvKwrpVTSxFRwHn6c_gjSer-6B6u525IdAFXrAaAtfCEALw_wcB

 

https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2021-09/aquecimento-global-mudancas-podem-ser-irreversiveis-entre-2040-e-2050

Ailton Krenak. Ideias para adiar o fim do mundo. Companhia das letras. 2020.

 

Por Neimar Oliveira

 

Para conferir outras matérias de Neimar Oliveira, acesse o link abaixo:
https://libertasnews.com.br/category/colunas/vida-e-filosofia-neimar-oliveira/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *