Cinthia Motta! Musicista, Amante do Rock e do Samba!

A invasão dos intelijumentos
março 30, 2021
Pâmela Bernardo – Uma artista de várias linguagens
abril 3, 2021

Cinthia Motta! Musicista, Amante do Rock e do Samba!

Cinthia Motta

Cinthia Motta, Mulher, Amante do Rock e do Samba! Dois estilos maravilhosos que contemplam a música em toda sua plenitude.

Cinthia é musicista multiartista, em seu repertório domina o violão de 6 e 7 cordas, Guitarra, Piano, Flauta e Percussão. Se apresenta em bandas como Maria Pretinha, Grupos de Samba e Choro.

É professora de música, musicalização infantil, além de trabalhar na área da produção musical e cultural. Está à frente do bloco carnavalesco Maria Pretinha, Produção de bandas como Alexandre da Mata and The Black Dogs, realizando turnê em Portugal em 2018.

Lugar de mulher é no palco, bastidores, produção, sala de aula… onde ela quiser! A mulher pode tudo!

Por pensar assim, convidei essa mulher extraordinária para compor mais um photoessayand interview, do nosso LIBERTÁRIAS.

O número de mulheres que integram as bandas em relação aos homens, ou a representatividade feminina em grandes festivais de música, ainda é muito pequeno, por isso, percebemos o quanto o mercado musical é um reflexo da nossa sociedade desigual e machista.

Tem muitas profissionais talentosas na música, mas ainda falta abertura para que elas atuem com segurança, integridade, e que possam ocupar os espaços que lhes são negados. Portanto, é importante ter o trabalho valorizado de forma igualitária, financeira e intelectual.

Nome: Cinthia Ribeiro Mota Vilela

Profissão: Musicista, Professora e Produtora Cultural

Formação: Graduação em Música

Redes sociais: http://@cinthia.motta

Quem é Cintia Motta?

Instrumentista violão 6 e 7 cordas, Guitarrista , Produtora Cultural e Professora de Música .

Atuante no cenário musical e cultural Belorizontino, destacou-se como instrumentista nas bandas Maria Pretinha e Mary Bee. Com a formação acadêmica em música, descobriu uma outra paixão, a de lecionar. Paralelo ao trabalho nos palcos, Cinthia também atua como professora de música. Detentora de uma vasta experiência na área, dedica seus ensinamentos em escolas de música, projetos sociais  e formação de novas educadoras na área de musicalização e arte-educação.

Se identifica com estilo de vida bem criativo, ousado e alegre. Gosta de novidades em todos os aspectos. Tem personalidade forte, é extrovertida, dinâmica, divertida, gosta de fugir do convencional.

Música, arte e cultura:  musica brasileira (MPB, choro e samba) Blues, Rock e Jazz. Sente pela música uma enorme Intimidade, alegria e bem-estar

Perguntei para essa musicista incrível, como foi ver o Brasil e o mundo passar por essa transformação devido a pandemia!

Ela não hesitou em falar que nesse processo de pandemia é necessário isolamento social. É difícil. Porém, necessário. Principalmente para ela que tinha uma vida super agitada,  entre shows, eventos e aulas. A pandemia  trouxe incertezas e angústias, afinal, as mudanças foram bruscas nas relações sociais e na rotina de trabalho. Por outro lado esse é um momento para refazer planos, planejar e buscar soluções criativas. Se reinventar.  Está sendo um momento muito importante para refletir sobre nossas crenças e como podemos contribuir para uma sociedade mais justa e fraterna.

Cinthia está trabalhando em dois  projetos no momento.

Em primeiro lugar, está se dedicando ao estudo do violão de 7 cordas e sua aplicação no choro, samba.

Em segundo lugar, está ministrando aulas on-line, para professoras da educação infantil e ensino fundamental. Como resultado, oferta sua contribuição para o desenvolvimento musical, dessas educadoras, através de oficinas de formação na área de educação musical. Além disso, proporciona trocas de experiências  e dicas para a aplicação do conteúdo com seus alunos.

 

O site (http://mulhernamusica.com.br/) expressa bem o mapa das mulheres na música, pois diz que nas décadas de 70 e 80, a contratação de mulheres nas orquestras americanas aumentou entre 30% e 50% por conta das audições cegas. Um tipo de seleção em que os candidatos ficavam atrás de uma tela que impossibilitava o júri de vê-los. Pensando lidar com um corpo de profissionais homens, eles contratavam… Mulheres!

Ainda hoje a presença feminina no mercado musical é subjugada ou mesmo esquecida. Segundo a revista Rolling Stone Brasil, em matéria publicada em 2017, dos 100 maiores artistas da música brasileira, apenas 16 são mulheres. No ano anterior, o festival Lollapalloza contou ao todo com 104 músicos no palco, sendo somente 10 deles mulheres.

 

Cinthia expressa sua opinião, para mulheres que têm, e/ou  gostariam de ter a música como profissão  como profissão.

“A dica é estudar muito o instrumento escolhido, se apropriar da música e fazer a diferença. Só assim, pode-se romper as amarras do preconceito, neste universo que, ainda é muito masculinizado.”

 

Cínthia Motta deixa uma mensagem para a mulherada sobre a importância da música, e seus benefícios.

“A música acalma, estimula os hormônios de bem-estar, combate o estresse e a ansiedade. Consequentemente, melhora a concentração e foco, a coordenação motora e vários outros benefícios são atribuídos ao estudo da música.”

A mulher na sociedade atual, exerce cada vez mais um papel de protagonista, mas ainda sofre muito com as heranças históricas desse sistema social patriarcal em nosso cotidiano. Por isso, Cínthia afirma que, principalmente na música, que é sua área de atuação, o preconceito com uma mulher que toca um instrumento, ainda é muito evidente.

Mesmo nos tempos atuais, a mulher, ainda tem que provar o tempo todo que é boa o suficiente e que pode sim chegar onde quiser. Portanto, pode-se declarar que, o lugar da mulher é onde ela escolhe estar.

Quer conhecer mais sobre Cinthia Motta

Acesse as rede sociais

http://@cinthia.motta

 

Em relação ao percentual de mulheres na música, vale a pena ler também, uma pesquisa que saiu no site UOL em 2019 que aponta que 84% das brasileiras ligadas ao setor musical já foram discriminadas no trabalho.

https://f5.folha.uol.com.br/musica/2020/02/84-das-brasileiras-ligadas-ao-setor-musical-ja-foram-discriminadas-no-trabalho-diz-pesquisa.shtml

Daniela Ribas, diretora de pesquisa do Data SIM, afirma que o levantamento foi realizado em parceria com WIM Brasil e WME (Women’s Music Event). Ela destaca ainda que o assédio sexual foi descrito por 49% das entrevistadas como principal dificuldade na profissão.

 

 Por Cilene Mota

Confira outras matérias sobre mulheres incríveis, acesse o link a seguir:

https://libertasnews.com.br/category/libertarias/

 

5 Comments

  1. Ana Gomes disse:

    Ficou bacana demais. Isso aí, mulher tem que chegar chegando. Não tem que pedir licença. Mostrar o trabalho , a arte. Ainda vamos nos igualar em quantidade com os homens, mas em qualidade não fica devendo nada. Parabéns!

  2. Mauro Martins disse:

    Competência, dinamismo, talento, persistência ainda não descrevem em sua totalidade seu sucesso. Excelente artista, Cinthia Motta permaneça sempre esta pessoa carismática.

  3. Brenda Marques Pena disse:

    Muito bom este destaque da Libertas com Cinthia, com quem tive a oportunidade de tocar no bloco Maria Pretinha e acompanho o trabalho dela de longa data. É uma das irmãs da música que encontramos no caminho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *