Hyanna – Projeto Resistência
novembro 12, 2020
A poesia cantada de Glau Santana
novembro 13, 2020

Se você estiver se sentindo sem rumo, pode estar fazendo a pergunta errada!

Se você estiver se sentindo sem rumo, pode estar fazendo a pergunta errada

 

(por favor veja o vídeo antes de ler o texto)

Vejo muita gente procurando a ideia perfeita! O momento perfeito! O projeto utópico que vai trazer seu primeiro milhão!

ISSO NÃO EXISTE

Alguns fatos e experiências me levaram a mudar totalmente de estratégia nos últimos 5 anos e os resultados que colhi são surpreendentes.

McKeown, Greg. Essencialismo: A disciplinada busca por menos . Sextante. Kindle Edition.

Primeiro fato, segundo a falácia do planejamento, nós não somos bom em estimar o prazos das coisas que faremos. Isso por que ignoramos totalmente o fato de não podermos prever as coisas imprevisíveis que acontecerão. Eu sei, muito esquisita essa última frase. Mas é exatamente isso.

Eu reforço essa ideia por que é exatamente por causa dessa imprevisibilidade que “descobertas fortuitas” podem acontecer e você mudar de rumo, mudar de ideia, incrementar algo, deixar de fazer algo… enfim, promover alguma mudança de percurso que te trará benefício.

                           Descobertas fortuitas ao acaso é o significado de SERENDIPIDADE. 

E é por causa desse termo que hoje eu tenho uma vida muito mais dinâmica e assertiva. Eu descobri que se eu focar em ter muito claro na minha mente “as coisas que eu não quero”, sobrarão apenas opções boas, ótimas, excelentes e extraordinárias.

 

Ao botar a mão na massa nos meus projetos, fazendo tudo o que é necessário focando no que eu não quero, abre-se um excelente ambiente para a serendipidade.

Vamos a um exemplo:

Microcorrupções cotidianas. Imagina que agora, você só atravessa na faixa de pedestres, você compra tudo com nota fiscal, você declara tudo que ganha, você não instala “gato net” (aparelho para canais ilimitados de televisão). Trocando em miúdos, você comporta respeitando regras básicas, tá ok?

O que decorre dessa comportamento é encontrar outras pessoas e negócios que estão operando da mesma forma. E na minha experiência essas pessoas funcionam de uma forma em que tudo parece ser mais próspero. As coisas fluem sem problemas, o dinheiro circula.

Outro exemplo: como apresentador de eventos, eu sei muito bem o que eu não quero.

-Não quero formalidade que distancia as pessoas dos palestrantes.

-Não quero as pessoas cansadas por estarem assentadas há muito tempo.

-Não quero um jeito monótono de falar que adormece as pessoas.

-Não quero ser o cara chato que “manda as pessoas levantarem da cadeira sem propósito”, preciso fazer algo que “dê vontade de se mexer, por que é legal, divertido ou importante”.

O resultado foi que eu somei um DJ ao projeto que depois se tornou um sonoplasta super conectado ao que acontece no evento promovendo uma experiência sonora única. Eu estudei muito os eventos e hoje estou habilitado a falar de forma não leiga sobre muitos assuntos. Tenho feito poemas com as coisas que ouço nas palestras e isso nunca terá limite. Por saber o que não quero, estou sempre inovando esse trabalho.

Eu desejo isso a você, que você saiba o que não quer e se abra para o extraordinário que a serendipidade pode te trazer!

Se quiser se desenvolver desse jeito, venha pro acelera profissional

http://www.aceleraprofissional.com.br

Sobre a falácia do planejamento, aqui vai um trecho do livro Essencialismo de Greg McKeown:

“Das várias explicações para subestimarmos o tempo que algo exigirá, acredito que a pressão social é a mais interessante. Um estudo verificou que, quando se estima de forma anônima o tempo necessário para cumprir uma tarefa, não se cai na falácia do planejamento. Isso significa que muitas vezes realmente sabemos que não conseguiremos cumprir o prazo, mas não queremos admitir. Sejam quais forem as razões, o resultado é que tendemos a nos atrasar: em reuniões, na entrega de projetos no trabalho, no pagamento das contas, etc. Assim, a execução se torna frustrante quando poderia acontecer sem atrito. Um modo de se proteger disso é somar 50% de margem de segurança ao tempo estimado para concluir uma tarefa ou um projeto. (Se 50% lhe parecer generoso demais, pense na frequência com que as atividades realmente nos exigem 50% mais tempo que o esperado.)”

McKeown, Greg. Essencialismo: A disciplinada busca por menos . Sextante. Kindle Edition.

 

Por Lucas Veríssimo

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *